wrapper

Por Andressa Guimarães

Ao longo de todo o mês de janeiro, todas as turmas do Programa Educação e Trabalho (PET) irão participar de visitas guiadas na Biblioteca Pública Estadual de Minas Gerais. Ao total, serão 1.200 aprendizes, que vão passar pelo Edifício Luiz de Bessa e pelo anexo Prof. Francisco Iglesias.
Durante a visita, o guia explica a importância de uma biblioteca pública para a sociedade, uma vez que a biblioteca pública tem como funções promover o desenvolvimento intelectual e proporcionar a ampliação do conhecimento técnico, científico, cultural e literário, além de preservar a cultura local, sendo um espaço físico de fundamental importância para o desenvolvimento de uma cidade. O guia apresenta, ainda, toda a parte histórica do acervo, que contém alguns dos livros mais antigos do Brasil, e apresenta, também, a Seção Mineiriana, setor inteiramente dedicado a autores mineiros consagrados, como Guimarães Rosa e Carlos Drummond de Andrade.

Por fim, o guia fala sobre o Programa de Inclusão da Biblioteca, que possui um setor específico de braille, completamente dedicado aos deficientes visuais, e disponibiliza serviços voltados exclusivamente para esses usuários, como empréstimos de livros em braille, entre eles clássicos da literatura brasileira e estrangeira, além de audiolivros, periódicos, entre outros. Atualmente, a Biblioteca possui cerca de 500 usuários com deficiência visual cadastrados em seu sistema, que têm acesso a um acervo com aproximadamente 2.300 livros em braille, 1.400 audiolivros e 40 filmes com audiodescrição. Além disso, a Biblioteca promove eventos literários para esse público, nos quais voluntários leem livros para as pessoas com deficiência visual e os jovens aprendizes foram convidados a serem leitores voluntários nesses eventos.

Durante a atividade, os aprendizes têm a oportunidade de conhecer toda a Biblioteca, que é um espaço muitas vezes nunca visitado antes pelos jovens, além de serem convidados a fazer seu cadastro na bilbioteca, por meio da apresentação do documento de identidade e do pagamento da taxa de R$3,00, valor acessível até mesmo para os jovens de baixa renda. Com o cadastro, os jovens se tornam aptos a pegar livros emprestados no acervo da Biblioteca e, com isso, ter vasto acesso à literatura e à cultura.




Conheça a Fundação CDL

A História da Fundação CDL Pró-Criança começou em 1986, com a iniciativa de empresários do comércio, ligados à CDL/BH que resolveram se mobilizar em torno dos problemas que afetavam a vida das crianças de Belo Horizonte.

A entidade cumpre sua missão de levar igualdade de oportunidades às pessoas e contribuir para a construção de um futuro melhor, fortalecendo e exercendo a cidadania.

FCDL News

Dê a um jovem o seu primeiro emprego!
15, 16 e 17 de setembro, a partir das 9 horas
Contrate estagiários por intermédio da Fundação ...